Negócios
 
As lucrativas empresas que dão cara nova a roupas velhas

Acabou a história de se desvencilhar das roupas que sairam de moda. Uma surrada calça jeans pode virar saia nova super transada e um paletó se transformar em blaizer.

A criativldade não pára por ai. As peças podem ser reformadas, tingidas a personalizadas a preços muito camaradas.
Prossionais acima dos 40 anos são os mais requisitados no mercado de restauro de peças do vestuário. Conquistam o sucesso com experiência a paciência na execução do serviço. 0 lucro liquido pode ultrapassar 40% do faturamento mensal, dependendo da qualidade e pontualidade na entrega.
Exemplos de sucesso neste mercado em crescimento, Herondina Joana da Silva, 58 anon, baiana de Lagos de Santa Rita, ha 23 anos aproveitou a experiência em reformar roupas e abriu a "Herô Multiservice". 0 primeiro ateliê continua funcionando no Itaim Bibi.

A empresa conquistou bom conceito e cresceu. Hoje atende em varios pontos da cidade. Acaba de inaugurar, na Chácara Klabin, seu l0° ateliê e dispõe de cadastro de mais de 20 mil clientes atendidos.
"A procura pelo restauro aumentou. Resolvemos ampliar e inovar nossos serviços: consertamos sapatos,costuramos tenis e instalamos lavanderia própria. Atendemos em domicílio com hora marcada", relata Eurovan Tadeu da Silva, 40 anos, filho da dona Herô a administradora da rede.
Tadeu informa com orgulho que emprega 110 pessoas, todos com carteira assinada.

0 faturamento mensal da rede varia entre R,$ 20 mil a 30 mil mensais por loja. Segundo Tadeu, o lucro liquido pode chegar aqueles 40%.
Não é difícil encontrar na cidade de São Paulo profissionais que abriram negócio próprio e se dedicam aos concertos de roupas. Trabalhando com o pai desde os 10 anos, o alfaiate Maurício Messias Ferrari, 32 anos de profissão, se orgulha ao relembrar que nos anos 70 já colocava nesgas de couro, napa e tecido nas calças boca-de-sino, então na moda.

Hoje ele proclama que reforma qualquer tipo de roupa, "usando a sinceridade e bom senso com os clientes. Se não der para deixar a roupa em perfeitas condições de uso, nem aceito a encomenda", destaca Ferrari, muito incisivo.
Ele transforma calças jeans em saia ou bermuda, vestido em saia e blusa, troca o forro de paletó e blazer, faz bainha, cerzido invisível e qualquer ajuste, mas frisa que sua especialidade, é consertar roupas em couro a alfaiataria completa para gordos.

Os preços, garante, são camaradas a cita como exemplo a troca zíper por R$15 e a bainha de calça que custa, em média, R$10. Barrado de saia ou vestido feito na máquina custa apenas R$15. O mesmo serviço feito a mão não sai por menos de R$ 20 cada peça.
Ferrari destaca que faz questão de devolver a roupa pronta no prazo de uma hora no local combinado.
 

Voltar